Antigo vulcão marciano ficou em erupção por 2 bilhões de anos

Assim como nosso planeta, Marte hospeda muitos vulcões e é o lar do maior vulcão do Sistema Solar, o Olympus Mons.

 

De acordo com pesquisas recentes, os cientistas descobriram que além de serem gigantes, os vulcões marcianos diferem dos que estão na Terra pelo enorme período de tempo em que ficam em erupção.

 

Um meteorito incomum foi encontrado na Argélia em 2012, que era pequeno o suficiente para caber na palma da mão e pesava apenas 0,2 quilogramas. Os cientistas o chamaram de NWA 7635, e embora pequeno, revelou alguns mistérios intrigantes sobre vulcões marcianos. Os resultados foram publicados na revista Science Advances.

 

Análise da rocha levou cientistas a datá-la em cerca de 2,4 bilhões de anos de idade. Isso foi surpreendente, porque dos 100 meteoritos identificados como provenientes de Marte, cerca de 10 estão no mesmo grupo que NWA 7635. De acordo com os cientistas, eles têm cerca de 500 milhões de anos de idade. “Nós nunca vimos nada assim na Terra“, Marc Caffee, professor de Física e Astronomia na Universidade de Purdue e um membro da equipe de pesquisa.

 

O grupo de 11 meteoritos, incluindo NWA 7635, foi exposto a raios cósmicos por cerca de 1,1 milhão de anos. Mas a diferença de idade entre os outros 10 e NWA 7635 significa que houve um período de pelo menos 2 bilhões de anos em que um vulcão estava em erupção. “O que isto significa é que durante 2 bilhões de anos houve uma espécie de névoa constante de magma em um local na superfície de Marte“, disse Caffee.

 

Os pesquisadores não estão certos se os meteoritos vieram de Olympus Mons ou outro vulcão. Os vulcões podem ser especialmente grandes em Marte, já que não há placas tectônica como há na Terra. De acordo com a NASA, Marte costumava ser muito mais parecido o nosso planeta. No entanto, em algum ponto de sua história, Marte esfriou. Assim, a rocha fundida sob as placas se solidificou e a formação da placa tectônica foi triturada.

 

Os astronautas nunca andaram em Marte, mas graças a esses meteoritos, podem estudar a superfície do planeta vermelho. Além disso, Marte tem uma força gravitacional baixa e uma atmosfera fina, o que torna mais fácil para fragmentos de rocha lançados durante impactos voarem da superfície do planeta.


No entanto, esses fragmentos não se dirigem diretamente para a Terra. Em vez disso, eles podem orbitar no espaço por centenas de milhares, às vezes milhões, de anos, até que algo no espaço interrompa sua jornada. Pode levar ainda mais mil anos para os fragmentos colidirem com o nosso Planeta. Em outras palavras, esses pequenos meteoritos viajaram muito até chegarem aqui.

 

Este artigo foi originalmente publicado pela Business Insider.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Science Alert ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!