5 fatos muito cruéis que a história tenta esquecer de tão aterrorizantes que foram

por Redação Gooru 1.643 views0

Lembra-se de quando você tinha que estudar para as provas de história mundial na escola? Você pode ter acertado os principais pontos do passado da humanidade, mas há muitos detalhes sangrentos a serem descobertos, variando de fascinantes àqueles absolutamente horripilantes.

Veja só 5 fatos tão cruéis que a história tenta se esquecer de tão aterrorizantes que são:

 

5 – Os julgamentos das bruxas têm uma longa e sombria história

Você provavelmente já ouviu falar dos julgamentos das bruxas de Salem, mas a caça às bruxas remonta há uma época muito mais antiga. Um antropólogo estimou que, nos tempos medievais, cerca de 600.000 “bruxas” perderam suas vidas.

Para deixar o cenário ainda pior, animais também eram regularmente julgados na idade medieval – chegando até a receber sentença de morte.

4 – O decreto mais absurdo que um papa poderia implementar

Durante o período do papa Gregório IX, ele declarou que gatos estavam associados à adoração do diabo, resultando em seu extermínio em massa.

Ironicamente, acredita-se que essa aniquilação em grande escala de felinos ajudou a espalhar a peste bubônica, que devastou a Europa em 1300 e matou mais de cem milhões de pessoas. A falta de gatos significava que a população de ratos (que carregava a peste) espalharia a doença com muito mais força.

3 – A horrível extensão da dizimação dos índios americanos pelos europeus

A chegada dos europeus às Américas fez com que a população nativa americana caísse drasticamente de aproximadamente 12 milhões em 1500 para aproximadamente 237.000 em 1900.

2 – O assassinato escolar em massa mais mortífero aconteceu nos anos 20

Tiroteios em escolas infelizmente não são novidade para a América. Mas essa não é uma tragédia moderna: o massacre da escola Enoch Brown antecede a invenção do revólver Colt original em 70 anos. No entanto, no que diz respeito a assassinatos em massa, nenhum tiroteio escolar chega perto do desastre da Escola de Bath, em 1927.

 

A loucura começou quando um tesoureiro do conselho escolar de Michigan chamado Andrew Kehoe matou sua esposa e explodiu sua fazenda com dinamite, que explodiu simultaneamente com outros explosivos que ele implantou na escola de Bath Consolidated. Quando a equipe de resgate chegou ao local, Kehoe mostrou que ele estava jogando para valer, dirigindo um caminhão cheio de explosivos e se explodindo, matando toda a equipe de resgate também. No total, 58 pessoas ficaram feridas e 45 foram mortas. Tudo isso aconteceu em uma pequena aldeia de 300 moradores. Ele matou 1/6 da população.

 

Por mais louco que isso pareça, o massacre poderia ter sido muito pior. Uma investigação posterior descobriu que Kehoe tinha plantado explosivos adicionais na escola, que ele planejava detonar também mas não conseguiu.

1 – O Congo Belga era uma terra de pesadelos onde mãos cortadas eram praticamente a moeda

Durante o final do século 19, o rei Leopoldo II da Bélgica solicitou um grande pedaço da África central para administrar para fins humanitários. As potências europeias imaginaram “Bom, essas pobres pessoas lá provavelmente merecem uma pausa”, nascendo o Estado Livre do Congo. Infelizmente, ninguém perguntou à definição exata de “humanitária” do rei Leopoldo.

 

Leopoldo transformou o “Estado Livre” do Congo em seu próprio estado escravo de propriedade privada. A principal exportação da região era a borracha, de modo que se os congoleses não produzissem o suficiente, os homens de Leopoldo cortavam suas mãos. Cestas de mãos decepadas eram coletadas regularmente no Congo Belga, incluindo de criancinhas a partir de cinco anos.

[ Cracked / Twenty Two Words via Fique Sabendo! ] [ Fotos: Reprodução / Cracked ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!