10 frutas e vegetais que eram muito diferentes antes de começarmos a cultivá-los

Os alimentos com os quais você está acostumado hoje nem sempre tiveram a mesma aparência e gosto.

 

Diversas frutas e vegetais eram irreconhecíveis em suas versões silvestres, antes de serem cultivadas por seres humanos. Sua transformação ocorreu através de muitos anos de seleção artificial. Confira:

 

10. Milho

O milho vem de uma planta mexicana conhecida como teosinte, que originalmente era muito pequena e pouco comestível. Encontrar (e acessar o) milho em uma teosinte era muito difícil, pois sua casca era muito dura. Inclusive, foram necessários vários estudos para encontrarmos a ligação do milho com a teosinte – ninguém sabia de onde vinha o milho, de tanto que ele não se parecia com nada crescido no ambiente selvagem. Muitos anos de seleção das melhores plantas no futuro, finalmente chegamos ao milho que conhecemos hoje, fácil de descascar e mil vezes maior que o original.

9. Abacate

Originalmente, em um ambiente selvagem, o abacate era muito pequeno: cabia na palma de uma mão. Logo, tinha pouquíssima carne. A semente tomava quase todo o espaço da fruta, seu gosto não era bom e sua casca era muito dura. Graças ao cultivo selecionado, abacates modernos têm dez vezes mais carne, que também é mais mole e muito mais saborosa.

 

8. Pêssego

Este é mais um exemplo de cultivo selecionado para chegar a uma fruta maior e com melhor sabor. O pêssego foi domesticado pelos chineses pela primeira vez em torno de 4.000 aC. Nessa época, tinha o tamanho de uma cereja, e apenas 64% da sua carne era comestível. Supostamente, tinha gosto de lentilha. O pêssego moderno é muito maior, tem 90% de carne comestível e é mais doce.

7. Berinjela

Berinjelas selvagens tinham uma variedade de formatos e cores, sendo que a maioria era redonda e branca (daí o nome da planta em inglês, “eggplant”, semelhante a um ovo). Acredita-se que a domesticação desse vegetal começou na China, Índia e Tailândia, para fins medicinais (aparentemente, berinjelas selvagens deixavam um gosto amargo na boca). A seleção da planta para cultivo levou ao seu atual formato oblongo e cor roxa.

 

6. Morango

O morango silvestre é considerado a melhor versão dessa fruta, pois era supostamente mais doce. No entanto, era bem menor. Ao longo do seu cultivo, fazendeiros começaram a favorecer plantas maiores e mais resistentes a doença, o que influenciou seu sabor. O cultivo da versão atual aparentemente começou quando um espião francês trouxe um morango chileno – maior e mais branco – para a França, e as duas espécies foram cruzadas.

5. Tomate

Tomates são selecionados por seres humanos há milhares de anos. Sua evolução ocorreu em dois estágios. Havia um ancestral selvagem, com formatos e cores variáveis, que levou à primeira versão cultivada do tomate, amarela e bem menor. Essa versão eventualmente levou ao tomate cereja, que por sua vez levou ao formato mais comum e procurado do fruto hoje, de tamanho maior. Ele pode ter perdido sabor ao longo dos anos, no entanto. Mas dada toda a seleção genética que já houve no tomate, especialistas acreditam que ele permanecerá igual por um bom tempo.

 

4. Cenoura

A cenoura originalmente encontrada na Pérsia no século X era branca ou roxa, fina e tinha um gosto amargo. Após anos de seleção na Europa, a planta ficou maior e mais saborosa. A atual versão laranja, contudo, surgiu por motivos políticos. Os holandeses, conhecidos como fazendeiros de cenoura no século XVII, favoreceram essa cor em homenagem a Guilherme de Orange – e pegou no mundo todo.

 

A versão silvestre dessa planta ainda existe e é relacionada a sua versão moderna, cultivada. Contudo, o pepino selvagem não é comestível – é considerado tóxico. Além disso, é esférico e cheio de espinhos. O alimento que consumimos hoje provavelmente se originou na Índia, onde era cultivado por razões medicinais. Ao longo do tempo, ficou muito maior, cheio de sementes e comestível.

3. Banana

As bananas originais não eram comestíveis. Cheias de sementes duras, acredita-se que elas eram cozinhadas para servirem como alimento, ou não teria valido a pena cultivá-las. A versão moderna pode ter começado na região da Papua Nova Guiné, dez mil anos atrás. Ela é um híbrido entre duas espécies selvagens de banana, que levou à fruta amada com casca amarela. Alguns especialistas acreditam que a banana ainda precisa evoluir, entretanto, pois não tem diversidade genética. Isso a torna vulnerável à extinção.

 

2. Melancia

A primeira versão registrada da melancia é de 5.000 anos atrás, no Egito. Muito menor, com apenas alguns centímetros, tinha um gosto amargo. O cultivo selecionado ao longo dos anos levou ao aumento do tamanho da fruta no século XVII, mas ela ainda era muito diferente da versão atual por dentro. Sua carne era mais clara, e havia padrões distintos de semente. A melancia moderna é hoje 1.500 vezes maior que a original, mais doce e mais vermelha.

1. Pepino

A versão silvestre dessa planta ainda existe e é relacionada a sua versão moderna, cultivada. Contudo, o pepino selvagem não é comestível – é considerado tóxico. Além disso, é esférico e cheio de espinhos. O alimento que consumimos hoje provavelmente se originou na Índia, onde era cultivado por razões medicinais. Ao longo do tempo, ficou muito maior, cheio de sementes e comestível.

 [ BeAmazed via HypeScience ] [ Fotos: Reprodução / Be Amazed ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!