Gooru - Miscelnia de Contedos

Como reduzir os sintomas da TPM

por Redação Gooru 140 views0

75% das mulheres sofrem com dores de cabeça, mudanças de humor, inchaço, irritabilidade, depressão, ansiedade, retenção de líquidos, sensibilidade mamária, ânsia de açúcar, distúrbios do sono e outros sintomas da tensão pré-menstrual (TPM), que muitas vezes atrapalham suas vidas pessoais e profissionais.

 

Para 20% dessas mulheres, os sintomas são tão graves que elas precisam de tratamento médico. Cerca de 8% têm sintomas tão extremos que o problema recebe até um novo nome: TDPM (transtorno disfórico pré-menstrual).

Mas só porque você é mulher não significa que precisa viver com esses sintomas. De acordo com o Dr. Mark Hyman, diretor do Centro Clínico para Medicina Funcional de Cleveland, nos EUA, e autor de diversos best-seller, incluindo “Ultra-Metabolismo”, o fato é que o sofrimento relacionado aos ciclos menstruais não é causado por azar, e sim por maus hábitos, toxinas ambientais e estresse.

 

 “Claro, as empresas farmacêuticas não querem que você saiba disso! Assim, os tratamentos convencionais para TPM variam de drogas anti-inflamatórias para pílulas anticoncepcionais”, explica ele em seu website. “[Isso] Baseia-se no pressuposto de que os sintomas da TPM são uma parte inevitável de ser uma mulher e exigem ‘intervenção médica’ para corrigi-los. Nada poderia estar mais longe da verdade!”.

 

Curando a TPM sem remédio

Pensar que 75% das mulheres têm uma “falha” ou doença que requer tratamento médico para ter uma vida normal é uma noção simplesmente absurda, segundo o Dr. Hyman. Se você é uma das muitas mulheres que sofrem de TPM, você pode tentar acabar com seu sofrimento usando intervenções dietéticas e de estilo de vida simples.

 

É claro que, se essas intervenções não funcionarem, ou a qualquer momento em que você sentir necessidade, pode e deve naturalmente procurar ajuda profissional.

 

Sexo

Pode não parecer a melhor hora, mas de acordo com a ginecologista Denise Gomes sexo pode ser muito benéfico para aliviar os sintomas da TPM. Fazer amor libera endorfinas gerando sensações agradáveis de bem-estar e prazer. É um bom exercício físico e pode contribuir para reduzir o inchaço corporal. Afeto, toque, carinho e amor também podem ter efeito balsâmico, pois melhoram a autoestima e reduzem a depressão da TPM.

Como melhorar a TPM

O Dr. Hyman explica que a verdadeira causa da TPM é o desiquilíbrio de seus hormônios: os níveis de estrogênio aumentam e os níveis de progesterona diminuem, seja de forma relativa ou absoluta. Há muitas coisas que promovem desequilíbrios hormonais, logo, controlá-las pode igualmente controlar a TPM. Felizmente, muitas pesquisas científicas mostraram que há muitas maneiras de reequilibrar os hormônios sem o uso de remédios. Confira:

 

Dieta

A dieta pode interferir bastante nos hormônios do corpo. Constipação e desequilíbrios nas bactérias intestinais também. Isso significa que existem algumas atitudes dietéticas que vão melhorar bastante os sintomas de TPM.

  • Pare de comer farinha refinada, açúcar e alimentos processados;
  • Corte a cafeína;
  • Pare de beber álcool;
  • Balance seu açúcar no sangue comendo proteínas, como ovos e nozes, no café da manhã;
  • Coma uniformemente ao longo do dia e não pule refeições;
  • Não coma dentro de três horas da hora de dormir;
  • Corte todos os produtos lácteos e considere eliminar outros alérgenos comuns por alguns meses, principalmente glúten;
  • Aumente a fibra em sua dieta com vegetais, frutas, nozes, sementes, feijões e grãos integrais. Duas colheres de sopa de semente de linhaça moída por dia são especialmente úteis na correção de constipação e desequilíbrio hormonal;
  • Aumente as gorduras ômega-3 comendo mais peixes como sardinhas, arenque e salmão, bem como ovos e nozes;
  • Coma alimentos orgânicos, especialmente produtos de origem animal, para evitar estrogênios ambientais de pesticidas.

 

Suplementos

Estudos descobriram uma série de suplementos que ajudam a aliviar os sintomas de TPM, melhorando a função metabólica e o metabolismo hormonal, como:

  • Citrato de magnésio ou glicinato – tome 400 a 600 mg por dia;
  • Citrato de cálcio – tome 600 mg por dia;
  • Vitamina B6 – tome 50 a 100 mg por dia, juntamente com 800 mcg de folato e 1.000 mcg de vitamina B12;
  • Óleo de onagra – tome duas cápsulas de 500 mg duas vezes ao dia;
  • EPA / DHA (gorduras ômega-3) – tome 1.000 mg uma ou duas vezes por dia;
  • Taurina – tome 500 mg por dia para ajudar a função do fígado;
  • Um bom multivitamínico diário (todos os nutrientes trabalham juntos).

 

Ervas e fitonutrientes também podem ser muito úteis, como:

  • Extrato de Vitex agnus-castus pode ajudar a equilibrar os hormônios liberados pela glândula pituitária que controlam sua função hormonal geral. Estudos com mais de 5.000 mulheres o acharam eficaz. A dose ideal é de 100 mg duas vezes ao dia;
  • O inhame selvagem (Dioscorea villosa) e a casca de calamares (Viburum opulus) também podem ajudar a regular os ciclos e aliviar as cólicas menstruais;
  • A raiz do dente-de-leão pode ajudar com a função do fígado e funcionar como um diurético;
  • Isoflavonas de soja, trevo vermelho ou raiz de kudzu melhoram a desintoxicação de estrogênio, aumentando a atividade de enzimas específicas. Podem ser tomados como suplementos ou consumidos na dieta;
  • As sementes de linhaça ajudam a equilibrar o metabolismo hormonal e bloqueiam os efeitos negativos dos excessos de estrogênio;
  • Fórmulas de ervas chinesas também podem ajudar. Uma das mais eficazes é Xiao Yao San, que contém Bupleurum chinense, Paeonia lactiflora, Angelica sinensis, Atractylodes macrocephala, Poria cocos, Zingiber officinale, Glycyrrhiza uralensis e Mentha haplocalyx;
  • Substituir bactérias saudáveis no intestino também ajuda a normalizar o metabolismo hormonal, tomando um suplemento probiótico diário.

Exercício físico

O exercício físico é muito importante para equilibrar os hormônios. De acordo com o Dr. Hyman, as mulheres devem tentar realizar 30 minutos de atividade aeróbica 4 a 5 vezes por semana.

 

Estresse

Lidar com o estresse também é crítico para melhorar a TPM. O médico crê que cada pessoa pode tentar aliviar seu desconforto da maneira como achar melhor: com um banho quente à noite, com uma massagem, com yoga, aprendendo a respirar profundamente ou a meditar.

 

Essas técnicas e outras podem ajudar a equilibrar os hormônios”, escreve.

[ Dr. Hyman / Healthy via HypeScience ] [ Foto: Reprodução / Pixabay ]