Gooru - Miscelnia de Contedos

5 maneiras insanas que você pode ser morto a qualquer momento

por Redação Gooru 1.196 views0

Você está ciente de que há diversas maneiras pelas quais você poderia morrer a qualquer momento: você poderia ser atropelado por um ônibus, atingido por um meteoro ou um xixi congelado descartado de um avião, você poderia sufocar comendo um pretzel, você poderia sofrer um ataque cardíaco, um ataque de urso ou, o mais mortal de todos, um “beart attack” (que é um ataque cardíaco causado por ser atacado por um urso). Você ficou em estado de alerta. Você está pronto. Mas você nunca viu estes próximos…

 

5. Um toque leve no peito pode parar seu coração

Não há provas científicas de que um mestre em artes marciais possa tocar o peito de alguém e parar seu coração. Infelizmente, The Simpsons e Kill Bill não são considerados cientificamente válidos (ainda). Mas é algo que realmente pode acontecer com você cada vez que algo toca seu peito.

 

Sim, o “toque da morte” está tirando vidas hoje, não em torneios de artes marciais, mas em eventos esportivos juvenis – principalmente baseball e hóquei. É chamado de “commotio cordis”, e não requer um velho mestre enrugado com dedos de aço, apenas o impacto de uma bola de beisebol ou de hóquei acima do coração, exatamente na parte direita do ciclo cardíaco. Existe uma margem de erro de 10-20 milisegundos, uma fração de tempo 20 vezes mais rápido do que um piscar de olhos.

 

Até mesmo um golpe aparentemente inofensivo pode desencadear um “commotio cordis” – um bastão de plástico oco, um treinamento moderado de luta de contato, um colete usado no tratamento para soluço – basicamente qualquer contato com o peito pode acabar em morte. Estatisticamente, “commotio cordis” é quase exclusivo para atletas masculinos com idade inferior a 20 anos e geralmente ocorre durante eventos esportivos.

 

Entre 1996 e 2010, foram registrados 224 casos de “commotio cordis”. Embora de 10 a 20 novas ocorrências sejam registradas todos os anos, os pesquisadores acreditam que há numerosos casos que ainda não foram registrados. Sua mortalidade é principalmente devido ao fato de que, se ocorrer uma agitação de cordis, você precisa de um desfibrilador para trazer o coração de volta à ação. A cada minuto de espera para receber o choque cardíaco, a chance de sobrevivência cai em 10 por cento. Então, vá lá: sempre tenha um desfibrilador à mão, porque a qualquer momento você pode precisar dar, ou receber, um triunfante choque no peito. Outra alternativa é: nunca faça nada que possa gerar uma colisão no peito. Você provavelmente não estava fazendo nada desse tipo antes, mas agora você tem uma desculpa.

 

4. Basicamente tudo o que você está vestindo pode te matar de uma forma horrível
A “Síndrome de Isadora Duncan” é, talvez sem surpresa, batizado com o nome de Isadora Duncan. Ela era uma dançarina famosa, e mais importante, morreu de uma forma tão louca que mereceu ganhar o batizado de uma síndrome com o nome dela. Em 1927, Duncan estava entrando no carro de um admirador, e morreu estrangulada por seu cachecol, pois ele ficou preso na roda traseira do veículo. Se existe alguma maneira mais “Década de 20” de morrer, é difícil pensar em algo melhor do que esse acidente. Explosão de banheira de gin?

 

Não, não, Duncan ainda ganha.

 

Mas não era só ela: as máquinas industriais esmagam e matam consideravelmente os poucos trabalhadores humanos que ainda não foram substituídos por robôs inquebráveis. Os equipamentos agrícolas matam os agricultores mais rápido e mais frequentemente do que os efeitos colaterais indiscriminados dos produtos da Monsanto.

 

Não é tão emocionante quanto os mutantes matando tomates, mas muito mais letal e real.

 

Se o seu lenço não engatar na roda do carro do seu admirador, basicamente qualquer coisa pode fazer com que as roupas que você está usando façam com que você morra atropelado pelo metrô. As roupas matam tantas pessoas em estações de metrô que não podemos chamar de nova ocorrência. Quer se trate de uma bolsa de mulher, cair no vão entre a porta e o trem ou uma escada rolante engolindo o cadarço, os casos são muitos e deprimentes: qualquer pequeno item de roupa solta poderá arrastá-lo até a morte ou te rasgar em pedaços.

 

Esse também é um grande problema na Índia. As mulheres muitas vezes usam lenços longos tradicionais chamados dupatta, que são como ímãs para peças móveis. Isso se mostra especialmente factível em equipamentos agrícolas e motocicletas, que são abundantes no país devido aos congestionamentos de trânsito. Um estudo acompanhou 12 desses casos entre 2004 e 2006, sendo que 11 casos acarretaram em tetraplegia, porém três dos casos rapidamente retrocederam.

 

As lesões industriais são igualmente comuns no vizinho Paquistão, onde as extensas e múltiplas camadas de roupas como vestidos e mantos são constantemente sugadas em rodas de moto. Karachi, a cidade mais populosa do Paquistão, sozinha tem um caso por dia, o que significa que não importa onde você esteja no mundo, provavelmente há uma máquina por perto esperando ansiosamente para devorar o primeiro lenço que passar na sua frente.

3. Extraordinário relâmpago mortal pode atingir o céu claro e azul a qualquer hora


De acordo com o Lightning Branch of the National Weather Service, existem cinco maneiras diferentes que o raio pode vir a matá-lo. Mas uma das possibilidades, em especial, é bastante chocante e aterradora: mesmo com o sol e os céus claros, você ainda pode ser derrubado por um raio que ataca toda a cidade, como esta que cruzou as linhas do condado, visível no painel inferior esquerdo:

Veja aquele que parece um raio. Há um caso de um raio que viajou mais de nove milhas da tempestade originária, para cair perto de alguns prédios de apartamentos. Ah, e nós mencionamos que esses raios também têm uma carga energética muito maior do que os convencionais? Faz sentido: eles claramente te odeiam, pessoalmente. É aí que o relâmpago obtém sua energia, afinal: o ódio puro e desenfreado. Na sua direção.

 

De acordo com as observações ele parecem atacar humanos solitários com uma precisão mortal. Um turista em um dia ensolarado passeando ao longo do Daytona Beach foi atingido diretamente no peito por um desses raios que se originou a alguns quilômetros de distância. Da mesma forma, um homem morreu em uma praia de Nova Jersey enquanto ele e mais um amigo jogavam futebol em um dia ensolarado. Um paisagista teve o mesmo destino sob um céu sem nuvens em Miami e muitos outros ficaram feridos por ataques semelhantes.

Então, o que você pode fazer sobre isso? Fácil! Apenas vá em frente e faça as pazes com a morte, não há nada que possa ser feito.

 

2. Você pode se afogar em terra seca, em qualquer lugar sem água

A morte de Johnny Jackson, em 2008, evidenciou uma condição obscura e bastante aterrorizante, conhecida como afogamento atrasado. Jackson se afogou, porém, ao contrário da maioria das vítimas de afogamento, o garoto de 10 anos de idade morreu enquanto dormia. Em sua cama. Uma cama velha, sem água, bastante normal, que não está localizada perto de nenhuma piscina. Nem mesmo em um sistema de irrigação automtico em execução. Ou perigosamente perto de um Aquaman bêbado.

 

Sim, você pode absolutamente se afogar em terra. De duas formas diferentes, na verdade, o que você verá frequentemente (e erroneamente), usado de forma errada, mas similar – afogamento seco e afogamento atrasado.

 

O afogamento seco ocorre pouco depois de deixar a água; se o líquido entrou no nariz ou na boca, ele pode desencadear a reação natural do corpo para apertar a laringe fechada, impedindo que a água entre na via aérea. Infelizmente, esse reflexo funciona muito bem, impedindo que o ar entre na via aérea também. As vias aéreas geralmente precisam disso. Está bem claro no próprio nome.

 

Um afogamento é classificado como “seco” quando a laringe fez seu trabalho, no que diz respeito, e a água não atingiu os pulmões. Isso é de pouco importância para o resto de nós, que ainda não assistiram uma pessoa sufocar logo depois de sair de uma piscina, apenas por causa de uma laringe exagerada. Ótimo trabalho, laringe!

 

O afogamento atrasado funciona de forma diferente, e pode acontecer até 24 horas após a submersão. Mesmo se apenas um pouquinho de água entrar nos pulmões, isso pode causar acúmulo de fluido e inchaço. Ao longo do tempo, isso interrompe a transferência de oxigênio, diminui o batimento do coração, pode induzir o vômito noturno e subsequente sufocamento, e, logo depois, a parada cardíaca. Nós sabemos: a ideia de que há uma possibilidade de se afogar ao longo de um dia inteiro depois que você deixou a piscina é terrível. Não há necessidade real de se preocupar, porém, a água também pode entrar nos pulmões apenas através de atividades extremas ao lado da piscina, como saltar de uma tábua de mergulho ou disparar uma arma de água.

 

O afogamento atrasado afeta principalmente as crianças, mas geralmente é reversível se você chegar ao hospital no tempo, e apenas representa entre 1 e 2 por cento das mortes anuais de afogamento. Ainda assim, agora você tem a ideia de afogamento seco na sua cabeça, e você nunca confiará totalmente em uma piscina novamente.

1. Você poderia ser engolido inteiro por uma árvore

Você está ciente dos perigos do esqui: de Sonny Bono até aquele maldito SkiFree yeti, a possibilidade da morte durante a temporada de esqui está em toda parte. Mas enquanto você está preocupado com golpes na cabeça e ataques de yeti, as árvores estão escondendo um segredo. Um segredo mortal.

 

Espera, não foi esse o slogan do The Happening?

 

Bem, estamos falando de algo um pouco menos mortal e significativamente menos ridículo: poços de árvores.

 

Quando neva, os ramos baixos de uma árvore abrigam a base, produzindo um bolso de neve com ar dentro. “Neve e ar livremente acumulados” pode não parecer uma ideia terrivelmente assustadora, mas é exatamente o que essas árvores assassinas querem que você pense. À medida que o nível de neve sobe ao redor, a mistura mais fluida atua como uma espécie de “neve rápida”, esperando que os esquiadores se aproximem delas.

 

Os poços das árvores são muitas vezes enganosamente profundos. E as vítimas normalmente caem nessas armadilhas de cabeça, o que significa que há pouco que podem fazer para se libertar.

 

As quedas em poços de árvores representam 20 por cento das mortes de snowboard e esqui, através de “sufocamento de imersão na neve”. Se você é infeliz o suficiente para ser pego por uma árvore, a melhor maneira de sair é decepar a cabeça da árvore, o que fará com que todas as outras árvores na floresta conheçam saibam que você não brinca em serviço. Se isso não for viável por qualquer motivo, você basicamente precisa esperar por um parceiro para desenterrar você.

 

Você pode tentar se balançar suavemente para frente e para trás para criar um bolso de ar de tamanho grande, depois use os ramos que estiverem por perto para se empurrar ou se puxar para a superfície. Mas é mais fácil falar do que fazer, principalmente considerando que você estará de pé lutando contra o rolamento de neve solta que estará espremendo seus pulmões já congelados. Provavelmente é melhor aceitar e morrer de forma tão louca quanto possível, com dois esquis que se escondem na neve em ângulos bizarros. Dê um sorriso para a equipe que vai resgatar o seu corpo

[ Cracked via HypeScience ] [ Fotos: Reprodução / Cracked ]